segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Steven Spielberg e o presidente dos Estados Unidos

Na última sexta-feira estreou no cinema Lincoln, o mais novo filme do diretos consagrado Steven Spielberg e no sábado eu arrastei minha mãe até o cinema para assistirmos. O filme é o mais indicado no Oscar e já ganhou prêmios com melhor ator e melhor ator coadjuvante no Golden Globe Awards e no Screen Actors Guild Awards. E eu, dando uma de crítica de cinema (adoro fazer isso) vou elaborar uma crítica do filme, que é incrível.


O filme começa com a introdução do que se passa na época, já que ele só narra os últimos 4 meses da vida de Abraham Lincoln. A trajetória passa pela luta para conseguir votos na Câmara para que seja aceita a 13ª emenda constitucional e ponha-se um fim na escravidão e na Guerra Civil americana, a vontade do Robert, o filho mais velho, de ir à Guerra e até pelo drama de uma esposa que não superou a perda de um filho.
Spielberg foi cuidadoso na produção do filme, levou anos desde que comprou os direitos do livro Team of Rivals: The Political Genious of Abraham Lincoln, da historiadora Doris Kearns Goodwin e quando inciada a produção ele apostou nos detalhes para a composição de um filme inigualável. Ele acreditou no potencial de Daniel Day-Lewis que, mesmo aparentemente diferente de Lincoln, desde o rosto até a altura, conseguiu desviar dos obstáculos, deixou a barba crescer, aprendeu o jeito de andar do presidente (que lhe foi apresentado no livro) e adaptou uma postura que disfarçasse os vários centímetros que faltavam para alcançar Lincoln.
Dois destaques do filme foram o ator Tommy Lee Jones, no papel de Thaddeus Stevens, e a atriz Sally Field, como Mary Todd Lincoln. Quando eles entravam eles roubavam a cena e chamavam atenção para os respectivos personagens.
Lincoln conseguiu unir um bom diretor, um elenco incrível, uma produção arrebatadora e uma trama marcante, tanto para a história dos Estados Unidos, quanto para o cinema.
Os   minutos de filme podem parecer cansativos quando você não tem nenhum interesse pela história e caso você se perca na trama - o que não é muito difícil de acontecer, já que a história da Guerra Civil vai sendo jogada no seu colo já nos primeiros minutos de reprodução. Porém, é um filme que vale a pena assistir, não só uma vez, e se entregar à história do presidente que marcou a história da América.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Metas para 2013 !

Resolvi fazer as minhas metas de 2013, só pra variar ahahah Bom, essa é a primeira postagem do ano, espero que primeira de muitas. Vou fazer um post curto, basicamente uma continuação do que conclui as metas de 2012, mas como isso ficou faltando, resolvi fazer agora. Mas, de qualquer modo, vamos ao que interessa ou não interessa tanto assim.

Espero que em 2013 eu...

  • Consiga me divertir muito (considerando que vou ter que estudar pra caramba)
  • Conheça muita gente legal (assim como conheci em 2012)
  • Viaje (não importa para onde)
  • Passe no vestibular que eu quero
  • Fique mais tranquila em relação à tudo
  • Leia mais livros (li 5 esse ano e comecei no mínimo uns 10, sem terminar a metade, obviamente)
  • Faça alguma mudança no cabelo (uhul, finalmente !)
  • Fure um piercing (provavelmente na orelha)
  • Vá em shows legais
  • Assista pelo menos 100 filmes (porque não vai dar pra aumentar em relação à 2012)


Bom, é isso. Só pra fazer uma lista básica pro ano !