segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Steven Spielberg e o presidente dos Estados Unidos

Na última sexta-feira estreou no cinema Lincoln, o mais novo filme do diretos consagrado Steven Spielberg e no sábado eu arrastei minha mãe até o cinema para assistirmos. O filme é o mais indicado no Oscar e já ganhou prêmios com melhor ator e melhor ator coadjuvante no Golden Globe Awards e no Screen Actors Guild Awards. E eu, dando uma de crítica de cinema (adoro fazer isso) vou elaborar uma crítica do filme, que é incrível.


O filme começa com a introdução do que se passa na época, já que ele só narra os últimos 4 meses da vida de Abraham Lincoln. A trajetória passa pela luta para conseguir votos na Câmara para que seja aceita a 13ª emenda constitucional e ponha-se um fim na escravidão e na Guerra Civil americana, a vontade do Robert, o filho mais velho, de ir à Guerra e até pelo drama de uma esposa que não superou a perda de um filho.
Spielberg foi cuidadoso na produção do filme, levou anos desde que comprou os direitos do livro Team of Rivals: The Political Genious of Abraham Lincoln, da historiadora Doris Kearns Goodwin e quando inciada a produção ele apostou nos detalhes para a composição de um filme inigualável. Ele acreditou no potencial de Daniel Day-Lewis que, mesmo aparentemente diferente de Lincoln, desde o rosto até a altura, conseguiu desviar dos obstáculos, deixou a barba crescer, aprendeu o jeito de andar do presidente (que lhe foi apresentado no livro) e adaptou uma postura que disfarçasse os vários centímetros que faltavam para alcançar Lincoln.
Dois destaques do filme foram o ator Tommy Lee Jones, no papel de Thaddeus Stevens, e a atriz Sally Field, como Mary Todd Lincoln. Quando eles entravam eles roubavam a cena e chamavam atenção para os respectivos personagens.
Lincoln conseguiu unir um bom diretor, um elenco incrível, uma produção arrebatadora e uma trama marcante, tanto para a história dos Estados Unidos, quanto para o cinema.
Os   minutos de filme podem parecer cansativos quando você não tem nenhum interesse pela história e caso você se perca na trama - o que não é muito difícil de acontecer, já que a história da Guerra Civil vai sendo jogada no seu colo já nos primeiros minutos de reprodução. Porém, é um filme que vale a pena assistir, não só uma vez, e se entregar à história do presidente que marcou a história da América.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou do post? Deixe mais um pouquinho da sua mágica aqui ! Comenta, vai !